Menu
RSS


Ator espanhol é preso por não explicar a juiz frase que escreveu sobre Deus no Facebook

O ator, produtor teatral e ativista político espanhol Guillermo "Willy" Toledo foi preso na passada quarta-feira em Madrid, oito dias depois de ter sido emitido um mandado de captura contra ele para tentar garantir que surja perante um Juiz para explicar uma publicação que fez no Facebook no ano passado e na qual declarava "que se estava a cagar para Deus".

Estávamos a 5 de julho de 2017 quando Toledo escreveu no seu Facebook: "Estou-me a cagar para Deus. E ainda sobra-me merda para cagar no dogma da santidade e da virgindade de Maria." Em causa estava a decisão de um juiz de Sevilha em levar a julgamento três mulheres que carregaram na capital da Andaluzia uma reprodução de plástico de uma vagina de quase dois metros, como se fosse uma procissão da Semana Santa. A mensagem publicada levou então à queixa da Associação Espanhola de Advogados Cristãos, que reivindicou que as "palavras eram uma afronta aos sentimentos religiosos", pedindo ainda à justiça para avaliar se o ator também cometeu um crime de ódio durante um outro discurso na televisão. Perante a legislação espanhola - que o ator considera pré-histórica - o tribunal ordenou a sua presença perante um juiz, ao que ele não acedeu, tendo falhado duas presenças para que foi notificado.


Willy Toledo em Os Amantes Passageiros e Crime Ferpeito

Toledo, que trabalhou com cineastas como Pedro Almodóvar (Os Amantes Passageiros), Fernando Trueba (A Rainha de Espanha), Àlex de la Iglesia (Crime Ferpeito) e Vicente Aranda (Joana - A Louca), mostrou ontem, através do seu advogado, Endika Zulueta, a sua indignação com toda a situação: "Uma pessoa vai passar a noite num calabouço porque não quer explicar a um juiz por que escreveu que se está a cagar para Deus, estamos na inquisição? Na Espanha do século XXI, a liberdade de expressão está agora trancada numa masmorra".

Já esta manhã, o ator foi solto provisoriamente, sem fiança e sem qualquer medida cautelar. Toledo respondeu a uma única pergunta numa carta através do seu advogado, onde diz que não cometeu nenhum crime. No seu caminho para fora da esquadra onde esteve detido, Willy Toledo re-pronunciou aos Media as palavras que o levaram à corte: "Estou-me a cagar para Deus. E ainda sobra-me merda para cagar no dogma da santidade e da virgindade de Maria 27.000 vezes ".



Deixe um comentário

voltar ao topo

Contactos

Quem Somos

Segue-nos