Menu
RSS

 



O Cinema quer-se jovem. Arranca o YMOTION – Festival de Cinema Jovem de Famalicão

Contamos 120 anos de longevidade, e mesmo assim o Cinema é considerado a arte mais nova (as que sucedem encontram-se ainda num processo de debate e de afirmação). Mas a questão é: como alimentar essa centenária instituição com juventude? Simples, dar voz aos mais jovens, e perfeitamente abraçar as suas noções e dialetos de Cinema. Por entre as propostas de incentivação a essa camada (quer queira, quer não, se lançarão como o futuro da Sétima Arte), deparamos com o YMOTION: Festival de Cinema Jovem de Famalicão.

Com três anos de vida, o festival lança-se nas correntes dos circuitos de mostras cinematográficas do país, dando a oportunidade a jovens dos 12 a 35 anos para invocar um cinema próprio e quem sabe, promissor. São mais de 50 curtas-metragens, diversificadas quer na faixas etárias, nas suas naturezas e géneros, todos em competição pelo - Grande Prémio Joaquim de Almeida (juntamente com um valor de 2500€). Contudo, aqui o formato curta assume como um aperitivo aos seus talentos e visões, mas para estes pequenos realizadores que se dedicam e se expõem desta maneira, é o holofote esperado para um inicio de percurso. Mas por enquanto serão “analisados” pelo júri, este composto pelo argumentista Tiago Santos, o realizador e produtor Fernando Vendrell, a atriz Teresa Tavares, e pelos jornalistas Maria Rosa João e Tiago Alves.

Irís (Renato Arroyo e Francisco de Remondes Ferreiro, 2017)

Em paralelo, o festival irá demarcar-se com um olhar atento ao panorama português, apostando sobretudo, no que a organização apelida, no novíssimo cinema português. O crítico e jornalista de cinema Rui Pedro Tendinha estará presente no YMOTION de forma a coordenar uma sessão especial com foco no Terratreme, produtora que tem vindo nos últimos tempos a servir de casa para novas vozes da nossa indústria. Tudo O Que Imagino, de Leonor Noivo, Maria Do Mar, de João Rosas e Altas Cidades de Ossadas de João Salaviza, serão objetos de estudo e analise neste mesmo espaço. Os realizadores, assim como as atrizes Leonor Seixas e Joana de Verona estarão presentes no evento.

Continuando no carris deste Novo Cinema Português, Hugo Diogo será figura de destaque na mostra, primeiro porque será no YMOTION apresentado as primeiras imagens da produção Ladrão de Tuta e Meia, filme sobre alçada da Lanterna de Pedra e com distribuição garantida pela PRIS, que nos remeterá a um casal de vigaristas que tenta burlar um veterano do Ultramar que venceu o prémio do Euromilhões. A obra tem estreia prevista para 2019. E segundo, pela antestreia de Imagens Proibidas, a adaptação do livro de Pedro Paixão, que narra a história de um fotógrafo que tenta recriar um amor entre duas mulheres através de fotografias.

Imagens Proibidas (Hugo Diogo, 2018)

A destacar ainda um punhado de secções paralelas, entre os quais o Workshop de Guião coordenado por Luís Campos (realizador e produtora), e as masterclasses de Novas Narrativas, ministrada por Luísa Sequeira, a realizadora de Quem é Barbara Virginia?, e O Imaginário por detrás da Ideia, trazida pela artista plástica Rita Castro.

Organizado pelo Pelouro da Juventude do Município de Vila Nova de Famalicão, o Festival de Cinema Jovem de Famalicão decorrerá entre o dia 3 a 10 de novembro, na Casa da Juventude, Museu Bernardino Machado, Casa de Esmeriz, ​Centro de Estudos Camiliano e a Casa das Artes.

Toda a programação poderá ser vista aqui.



Deixe um comentário

voltar ao topo

Contactos

Quem Somos

Segue-nos